Compromisso para renovar a vida

Para as pessoas

Diminuir a pobreza

Nosso progresso

25,9 %

contexto

De acordo com a Síntese de Indicadores Sociais de 2023¹, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil possui cerca de 67,8 milhões de pessoas em situação de pobreza.

Nesse sentido, a Suzano entende que tem um importante papel a exercer não só no apoio ao desenvolvimento econômico, mas também na promoção de transformação social nos mais de 200 municípios nos quais está presente. É por isso que, em conjunto com organizações da sociedade civil e demais atores dessas localidades, criamos programas de geração de renda e buscamos influenciar processos e políticas públicas, fortalecendo negócios locais sustentáveis que fazem parte da cultura de cada região.

Utilizamos a referência global de pobreza monetária adotada pelo Banco Mundial e ratificada pelo IBGE, de 5,50 dólares por dia ou 486 reais por mês de renda familiar per capita (2022)². O cálculo utiliza o rendimento médio mensal, entendido como o rendimento total dos(as) moradores(as) do domicílio, provenientes do trabalho e de outras fontes de geração de renda, dividido pelo número de moradores(as).

informações sobre o KPI da meta
escopo

O compromisso tem como foco ampliar a abrangência dos nossos programas de geração de renda visando retirar pessoas da linha da pobreza, levando em consideração os níveis de vulnerabilidade socioeconômica de cada região.

O investimento social da Suzano é instrumento estratégico para gerar valor, tanto para o negócio quanto para as comunidades vizinhas e as regiões da atuação da empresa, garantindo o envolvimento com as partes interessadas.

A atuação tem como foco as soluções com impacto direto na redução da pobreza, norteadas pela sua multidimensionalidade – que afeta as esferas da renda, saúde e educação – e que possam ser replicadas e expandidas em diferentes municípios. Os projetos estão dentro de seis linhas programáticas que abrangem características regionais e suas vocações socioeconômicas:

• Extrativismo sustentável.
• Reciclagem inclusiva.
• Empreendedorismo.
• Redes de abastecimento Territorial. 
• Acesso a emprego. 
• Cadeia de Valor Suzano.

baseline
0 (jan/2020⁴).
ambição
Retirar 200 mil pessoas da linha de pobreza até 2030.
resultados em 2023

Em 2023, retiramos 22.250 pessoas da linha de pobreza em nossas áreas de atuação no Brasil, o que representa um aumento de 21,3% em relação a 2022, totalizando 51.883 pessoas retiradas da pobreza desde 2020.

Ao longo do ano, foram investidos 22,1 milhões de reais em 73 projetos de organizações da sociedade civil, beneficiando mais de 92 mil pessoas em mais de 120 municípios, distribuídos em 8 Estados brasileiros. Além disso, o ano foi marcado por parcerias significativas, atraindo mais de 40 milhões de reais para coinvestimento em projetos de geração de renda até 2025, com novos parceiros(as), como Sofidel, Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA), Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID), Instituto Coca-Cola, Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) de São Paulo e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Ainda, ampliamos a inclusão produtiva e a comercialização de produtos e serviços em mercados locais e regionais (urbano e rural), bem como avançamos nos nossos Projetos de Empregabilidade em São Paulo, Maranhão e Mato Grosso do Sul, que possibilitaram a retirada de 4.593 pessoas da linha da pobreza ao potencializar contratações por meio de empresas prestadoras de serviços (EPS) regionais.

É importante destacar que, ainda em 2022, foi construída a Teoria da Mudança (TdM) para materializar os resultados de impacto do compromisso de redução da pobreza. O método torna visível o caminho necessário para alcançar uma real transformação social em curto, médio e longo prazo, o que tem nos ajudado a evoluir rumo ao objetivo assumido.

Acompanhamento do kpi
2020202120222023Total acumulado
número total número total número total número total número total

Número de pessoas retiradas da linha de pobreza

2.285

9.007

18.341

22.250

51.883

O que faremos em 2024

Continuaremos a investir em projetos que consideram características regionais e vocações socioeconômicas nos diferentes eixos de aplicação do Compromisso. Acreditamos no potencial de nossas parcerias e, em 2024, buscaremos novas conexões para expandir a escala e o alcance de nossas ações, ampliando ainda mais o impacto da empresa nessa agenda.

Nesse sentido, os resultados de 2024 deverão ser impulsionados pelos projetos e parcerias já estabelecidos em 2023, com a conclusão da maioria dos projetos de nossa carteira. Destacam-se as expectativas para os projetos envolvendo o Sistema S em vários Estados, a colaboração com o Instituto Coca-Cola, as iniciativas com a Central Única das Favelas (Cufa) e o Instituto das Pretas no Espírito Santo e na Bahia. A criação da Unidade Ribas do Rio Pardo (MS) também deverá gerar uma nova onda de empregos, com foco especial em pessoas em situação de vulnerabilidade.

  1. Síntese de Indicadores Sociais de 2023: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv102052.pdf.
  2. Os projetos investidos para 2023 tiveram como planejamento, no início do ano, o valor de referência de 486 reais, dado oficial divulgado pelo IBGE na ocasião. Para 2024, nossa linha de pobreza será atualizada considerando-se os novos parâmetros do Banco Mundial, de 6,85 dólares/dia para a pobreza, em termos de poder de paridade de compra (PPC) a preços internacionais de 2017. Essas são as linhas utilizadas para o monitoramento do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 1 (ODS 1: Erradicação da pobreza) e foram atualizadas pelo Banco Mundial em 2022, sendo, até então, utilizados os valores de 5,50 dólares PPC 2011/dia para a pobreza. O IBGE passa a utilizar essa mesma referência para a Síntese de Indicadores Sociais do Brasil a partir de 2023.
  3. Visando a maior transparência e ao alinhamento de procedimentos, o horizonte da meta foi delimitado para o período de 2020 a 2030. Isso não significa que a Suzano não tenha retirado pessoas da linha de pobreza anteriormente, mas apenas que, para governança e efeito da meta, as remoções serão contabilizadas a partir de 2020 (ano de divulgação da meta), possibilitando uma avaliação e acompanhamento mais eficaz de seus resultados em termos de erradicação da pobreza, ao mesmo tempo que torna a meta mais ambiciosa.

Compartilhe este conteúdo: