contexto

Processo formal de identificação de riscos: A Suzano analisa os fornecedores nos critérios de regularidade no registro junto aos órgãos, financeiro, integridade e requisitos de qualidade técnica, sistema de qualidade, gestão de pessoas, tecnologia empregada, saúde e segurança e meio ambiente. Os riscos potenciais de sustentabilidade são identificados por ferramentas, tais como avaliação de desempenho e auditorias no local. Os prestadores de serviços fixos (contratados no local) são monitorados em conformidade com as obrigações trabalhistas e em um painel de risco. Para fornecedores de madeira, os riscos de sustentabilidade são definidos considerando cinco categorias FSC® (madeira extraída ilegalmente, madeira extraída em violação aos direitos tradicionais ou civis, de florestas nas quais altos valores de conservação são ameaçados por atividades de manejo, de áreas sendo convertidas de florestas e outros ecossistemas arborizados para plantações ou usos não florestais, e de florestas nas quais árvores geneticamente modificadas são plantadas). 

Para avaliação, aplicamos o Sistema de Due Diligence através de análises documentais e auditorias no local. Em 2021 todos os 366 fornecedores não nível 1 foram auditados, totalizando 422 auditorias internas em campo, 108 desvios identificados e tratados. Além da auditoria interna, foram realizadas auditorias externas em campo, por organismo certificador, em 6 fornecedores das Unidades da Bahia, Espirito Santo, São Paulo e Mato Grosso do Sul e não foram encontrados desvios nos fornecedores 

Matriz de Risco Socioambiental: Permite a segmentação da base total de fornecedores da companhia por meio de análise das categorias de compras sob a perspectiva socioambiental. A classificação de risco dos fornecedores é feita considerando dois eixos: o nível de severidade e probabilidade de impacto socioambiental (definido pela sua macro categoria) e o nível de corresponsabilidade da Suzano (considerando o grau do impacto que é consequência da existência da empresa compradora). 

Madeira: Na Suzano, todo fornecedor de madeira é considerado crítico, porque se há falta de madeira de fonte sustentável não há produção (fornecedores não-substituíveis). Além disso, toda fornecida para Suzano é avaliada pelos padrões FSC, que classificam toda madeira controlada do Brasil, como de alto risco, sendo necessário avaliar os indicadores obrigatórios da Avaliação Nacional de Risco para o Brasil FSC e mitigação dos riscos.

Gestão de risco de fornecedores

Processo de identificação dos riscos de fornecedores, por tipo de fornecedor¹2021
Número de fornecedores avaliados nos últimos 3 anos² (Exceto Fornecedores Madeira)Número de fornecedores classificados como de alto risco de sustentabilidade² (Exceto Fornecedores Madeira)Porcentagem do total de fornecedores classificados como de alto risco de sustentabilidade² (Exceto Fornecedores Madeira)Número de fornecedores avaliados nos últimos 3 anos³ (Fornecedores Madeira)Número de fornecedores classificados como de alto risco de sustentabilidade³ (Fornecedores Madeira)Porcentagem do total de fornecedores classificados como de alto risco de sustentabilidade³ (Fornecedores Madeira)
número total número total percent número total número total %

Fornecedores de nível 1

1.194

702

0.057

1.172

558

1,00%

Fornecedores de não nível 1

0

0

0

295

295

1,00%

Informações complementares

No ano de 2021 os critérios de avaliação de riscos socioambientais foram incorporados aos processos de gestão de fornecedores, isto nos permitiu avaliar risco de sustentabilidade. Novas medidas de gestão foram implementadas, a exemplo da utilização da ferramenta Reprisk, que nos permite monitorar riscos ESG na cadeia de fornecimento.