contexto

Emissões biogênicas são as emissões relacionadas ao ciclo natural do carbono, bem como aquelas resultantes da combustão, colheita, digestão, fermentação, decomposição ou processamento de materiais de base biológica.

Emissões biogênicas de CO₂ (Escopo 3)

Emissões biogênicas de CO₂ (Escopo 3), em tonelada de CO₂ equivalente (tCO₂e)¹201920202021
tCO₂e tCO₂e tCO₂e

Total

30.489,47

46.621,06

74.003,10

Informações complementares

Houve aumento de emissões biogênicas devido à ampliação do consumo de combustíveis renováveis em operações rodoviárias, como o consumo de etanol, biodiesel misturado no diesel e etanol misturado na gasolina. Os fatores de emissão destes insumos no Brasil são divulgados anualmente pelo Programa Brasileiro GHG Protocol. A mistura de biodiesel ao diesel oscilou entre 13% e 10% ao longo de 2021 e tem diminuído. Em 2020, esse valor era de 11,3%, e em 2019, de 10,3%. A mistura de etanol e gasolina se manteve em 27%. Para comparação com o ano-base e alinhamento metodológico com os compromissos para renovar a vida da Suzano, utilizou-se índices de GWP relativos ao Quarto Relatório de Avaliação do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC). Os dados também foram calculados com as métricas do Quinto Relatório (AR5) do IPCC e podem ser disponibilizados caso solicitado Todos os valores relatados foram verificados por terceira parte independente. Para saber mais sobre a gestão de emissões de GEEs, acesse “Emissões de Gases de Efeito Estufa (GEEs) e metodologia”.